Metropolis. Report from China

Esse é o nome de uma exposição em cartaz em Frankfurt (Frankfurter Kunstverein) até 8 de maio. De Maya Schweizer e  Clemens von Wedemeyer, sob a curadoria de Holger Kube Ventura e Stefanie Spiegelhalder a ideia é trabalhar a tênue linha que separa arte e realidade, cenografia e arquitetura, usando como pano de fundo o cultuado clássico de clássico de 1927, de Fritz Lang.

Para fazer uma breve explicação/introdução ao tema, o filme é tido como a obra-prima do futurismo e  sempre inspirou muitas releituras durante as décadas seguintes, chegando ao ápice no póscrise, quando foi “redescoberto” e deu cara a objetos de  moda, acessórios e gadgets.

Ou você acreditava que essa fantasia da Beyoncé era original?

Voltando ao filme, visionário em muitos sentidos – principalmente estéticos -, que conta a história de uma sociedade futurista, na qual a humanidade está dividida em dois grupos: os pensadores (que fazem planos, mas não sabem como colocá-los em prática) e os trabalhadores (que cumprem metas e obedecem as máquinas).

Inspiração?

Fiquei bem curiosa. Resta esperar por mais fotos na web.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s